Voto distrital

Foto: Lalo de Almeida/Folhapress)

É possível que já nas eleições municipais do ano que vem seja implantado no Brasil o voto distrital.

A sugestão é do Tribunal Superior Eleitoral que entregou ontem à Câmara dos Deputados o texto de uma proposta de reforma do sistema e legislação eleitoral.

Segundo o TSE, o estudo foi entregue ao presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia, pelos presidente e o vice-presidente da Corte, ministros Rosa Weber e Luís Roberto Barroso.

A proposta
O projeto propõe a implantação, em cidades com mais de 200 mil habitantes, já nas eleições municipais de 2020, do sistema eleitoral distrital misto no Brasil, inspirado no modelo alemão.

O sistema distrital misto prevê que metade das Câmaras de Vereadores, das Assembleias Legislativas e da Câmara dos Deputados seja eleita por meio do voto distrital, ou seja: ocupam os assentos os que forem mais votados nominalmente.

Pelo sistema, a outra metade é eleita pelo voto em legenda. A proposta ainda prevê que o voto em legenda seja em lista fechada, isto é, os candidatos de cada partido são dispostos numa lista predeterminada, que indica a ordem em que serão preenchidas as vagas conquistadas nas urnas.

Segundo o ministro Luís Roberto Barroso, a proposta tem três objetivos: baratear o custo das eleições, aumentar a representatividade democrática dos parlamentos e facilitar a governabilidade.

Na avaliação do presidente da Câmara, as próximas eleições já acontecerão num sistema eleitoral diferente, em virtude do fim das coligações, e isso, do seu ponto de vista, oferece um cenário propício para a discussão sobre mudanças no sistema eleitoral.

Fonte: Roseli Abrão