Tribunal decide reduzir pena e Carli Filho deve cumprir 7 anos em regime semiaberto

Carli Filho deixa a sessão do júri popular (Foto: Franklin de Freitas)

O ex-deputado estadual Luiz Fernando Ribas Carli Filho, condenado em júri popular por se envolver em um acidente de trânsito que matou dois jovens, teve a pena reduzida. Nesta quinta-feira (7), o Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) decidiu reduzir a pena para sete anos, quatro meses e 20 dias de prisão, em regime semiaberto. A decisão foi dada pela Primeira Câmara Criminal. As informações são do G1.

A tendência, porém, é que Carli Filho cumpra a pena em liberdade, apenas com o uso de tornozeleira eletrônica. Segundo o Departamento Penitenciário do Paraná (Depen-PR), o número de presos à espera por vagas no regime semiaberto é maior que o número de vagas. Por isso a adoção da tornozeleira no caso do ex-deputado.

O caso

Em fevereiro de 2018, Carli Filho havia sido condenado a nove anos e quatro meses de prisão. Esse foi o veredicto do caso que envolvia o ex-deputado num processo de duplo homicídio com dolo eventual – ele teria provocado o acidente que matou Gilmar Rafael Souza Yared e Carlos Murilo de Almeida em maio de 2009. Carli Filho estava alcoolizado e dirigia a 167 km/h, além de estar com mais de 100 pontos na carteira de habilitação – com 20 pontos, o motorista tem o documento cassado.

A defesa de Carli Filho recorreu do veredicto do júri popular e desde então o ex-deputado aguarda em liberdade o julgamento da apelação. A apreciação do caso no TJ começou em 12 de dezembro e foi suspenso por divergências sobre o tempo de prisão. Os desembargadores retomaram o julgamento nesta quinta-feira e optaram pela redução da pena, com cumprimento em regime semiaberto.

No julgamento da apelação, o relator, desembargador Naor Macedo, manteve a pena de 9 anos para ser cumprida inicialmente em regime fechado. O revisor, desembargador Clayton Camargo, reduziu para sete anos, em regime semiaberto. O vogal, desembargador Miguel Kfouri, também divergiu, fixando em sete anos, quatro meses e 20 dias, também em regime semiaberto.

Fonte: Bem Paraná