Ministro brasileiro destaca força cultural de Curitiba em encontro do BRICS

Foto: Daniel Castellano / SMCS

O ministro da Cidadania do Brasil, Osmar Terra, afirmou que a força cultural de Curitiba mais que justificou a escolha da capital como sede, nesta semana, da reunião de ministros da Cultura do BRICS, bloco político-comercial que reúne, além do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. “A capital paranaense transpira cultura, transpira arte e o prefeito Rafael Greca tem um papel fundamental neste movimento”, avaliou ele, nesta sexta-feira (11/10), durante a cerimônia de encerramento do encontro diplomático no Memorial de Curitiba.

Desde quinta-feira (10/10), altos funcionários e os ministros da Cultura dos cinco países estiveram reunidos na capital para fortalecer a cooperação entre os integrantes do BRICS no âmbito da economia criativa. “É um dos setores que mais cresce no mundo”, salientou Terra. Ao longo de 2019, o Brasil exercerá a presidência do bloco político-comercial.

Os representantes dos governos do BRICS foram recepcionados, no Memorial de Curitiba, pelo prefeito Rafael Greca, que ressaltou também a tradição cultural da cidade e o apoio do município à economia criativa. Segundo ele, o segmento abrange e ultrapassa a produção de bens e serviços culturais.

“Além da economia criativa gerar emprego e renda, ela também é um contraponto ao avanço do mundo digital e disruptivo. Apoiar a cultura é acreditar que os países não podem secar seus corações, não podem perder a sua alma. É preciso garantir a manutenção e o financiamento cultural dos povos”, destacou o prefeito.

Além de Greca e do ministro brasileiro, também participaram do encerramento da reunião do BRICS o diretor do Departamento de Museus e Relações Exteriores da Federação Russa, Vladislav Kononov; o ministro da Cultura da Índia, Prahlad Singh Patel; o vice-ministro da Cultura e Turismo da República Popular da China, Zhang Xu; e a vice-ministra de Esporte, Artes e Cultura da África do Sul, Nocawe Mafu.

O prefeito pediu aos ministros do BRICS que levem para seus países a cultura e a arte produzidas em Curitiba. “A cidade que é berço da primeira universidade do Brasil, hoje reúne mais de 15 teatros, quatro orquestras e 400 escolas, além de bibliotecas que remetem ao Farol de Alexandria”, enumerou Greca, citando também os Faróis do Saber e Inovação.

Orquestra
Um dos momentos mais marcantes da cerimônia, e que emocionou os convidados presentes ao Salão Paranaguá do memorial, foi a apresentação da Orquestra à Base de Corda da capital. Com direção musical e artística de João Egashira, o grupo executou obras-primas da música popular brasileira, como Voa Sabiá (João Egashira), O Trenzinho do Capira (Heitor Villa-Lobos), Brasileirinho (Waldir Azevedo) e Carinhoso (Pixinginha e João de Barro).

Logo na chegada das delegações diplomáticas, Greca fez questão de apresentar para os ministros parte do rico acervo do Memorial de Curitiba. “Estes belos mosaicos contemporâneos retratam cartões-postais da capital, como a Ópera de Arame, a Rua XV de Novembro, o Centro Histórico e até o nosso mudialmente conhecido sistema de transporte público”, explicou ele, sobre as obras criadas por artistas da capital como Bea Pereira, Denise Marcelino, Fernanda Czelujinski e Fernando de Sales Varella.

Os dois monumentais afrescos do curitibano Sérgio Ferro também foram apreciados pelas autoridades dos cinco países. Após posarem para foto oficial de encerramento do encontro de cúpula, Greca detalhou para os ministros do BRICS as concepções do artista plástico para os murais comemorativos aos 300 anos de fundação de Curitiba (completados em 1993) e aos 500 anos do Descobrimento do Brasil (em 2000).

Antes do evento de encerramento do encontro, nesta sexta-feira (11/10), o prefeito participou de um almoço em homenagem aos ministros do BRICS oferecido pelo governador Carlos Massa Ratinho Júnior, no Palácio Iguaçu. Ele estava acompanhado do assessor de Relações Internacionais da Prefeitura, Rodolpho Zannin Feijó.

Também participaram da cerimônia de encerramento os secretários da Educação, Maria Sílvia Bacila; do Esporte, Lazer e Juventude, Emílio Antonio Trautwein; os presidentes da Fundação de Ação Social (FAS), Thiago Ferro, da Fundação Cultural de Curitiba, Ana Cristina de Castro, do Instituto Curitiba de Saúde (ICS), Dora Pizzatto, do Instituto Municipal de Administração Pública (Imap), Alexandre Matschinske, do Instituto Municipal de Turismo, Tatiana Turra; o presidente da Cohab Curitiba, José Lupion Neto; o assessor de Relações Internacionais, Rodolpho Zannin Feijó; e o chefe do escritório da representação do Ministério das Relações Exteriores no Paraná, embaixador Igor Kipman.

Fonte: Prefeitura de Curitiba