Kennedy: Distritão vai piorar o que já é ruim

Jornalista Kennedy Alencar lembra que esta é “uma regra eleitoral usada em pouquíssimos países, de baixo avanço democrático, como o Afeganistão”, e que “só facilita o caciquismo”; “O ‘Distritão’ voltou a ganhar força agora porque é bom para uma classe política que está em xeque devido às acusações de corrupção”, ressalta; “Ou seja, não tem voto, acha um atalho. É uma visão golpista”, completa

247 – Para o jornalista Kennedy Alencar, caso o plenário da Câmara aprove o “Distritão” para as próximas eleições “tende a piorar o que já está ruim. É uma regra eleitoral usada em pouquíssimos países, de baixo avanço democrático, como o Afeganistão. É uma forma de eleger deputados federais, estaduais e vereadores que desperdiçaria muito mais votos do que no atual sistema proporcional”, observa.

“Os defensores dizem que o sistema é simples, porque ganham os mais votados. Mas ele enfraquece a criação de partidos de verdade. Na prática, fortalece as atuais direções partidárias _reforçando o caciquismo e o caráter cartorial das atuais legendas. E dificultará a representação de minorias”, completa. “O “Distritão” voltou a ganhar força agora porque é bom para uma classe política que está em xeque devido às acusações de corrupção”, ressalta.

Além disso, diversos partidos, como “o PSDB, que perdeu as últimas quatro eleições para o Palácio do Planalto, gostaria de acabar com o sistema presidencialista porque teria mais chance de exercer o poder no parlamentarismo. Ou seja, não tem voto, acha um atalho. É uma visão golpista”.

Fonte: Brasil 247

Poste suas ideias